sindipoles-alerta-falta-de-combustivel-pode-potencializar-viaturas-paradas

 

Com a legítima paralisação dos caminhoneiros do Brasil contra o aumento nos impostos cobrado em cima do óleo diesel, muitos serviços foram paralisados no país e um deles é a distribuição da gasolina. Com isso, vários postos no Espírito Santo já estão sem o combustível. O Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol/ES) alerta aos policiais e a sociedade como um todo para o possível aumento nos crimes devido a diminuição no patrulhamento nas ruas em virtude da ausência do produto nas viaturas.

Em nota divulgada no Gazeta Online nesta quinta-feira (24), o comandante geral da Polícia Militar, Coronel Ramalho divulgou que o número de viaturas já está sendo reduzido e os veículos vão ficar parados em pontos fixos. Portanto, só vão sair do local para o atendimento de ocorrências. O Sindipol/ES ressalta que o mesmo pode ocorrer com a Polícia Civil capixaba, por isso, alerta a população sobre a possível onda de violência e caos pela falta de policiamento.

Para o Sindicato, a reivindicação dos caminhoneiros é mais do que justa, pois não se pode aceitar a alta carga tributária imposta pelo Governo Nacional. A gasolina do Brasil é hoje uma das mais caras de todo mundo, sendo que o país é um dos principais fornecedores do combustível.

Jorge Emílio Leal, presidente do SIndipol/ES
Jorge Emílio Leal, presidente do SIndipol/ES

“Isso é um absurdo. Não podemos aceitar esse alto preço da gasolina. Não tem condições de se pagar até R$ 8,00 por litro do produto. Não podemos aceitar mais essa alta carga tributária proposta por esse Governo ilegítimo. Apoiamos a paralisação dos caminhoneiros, mas gostaríamos de alertar a toda sociedade pelos riscos, porque sem a gasolina não tem como as viaturas irem para as ruas”, disse o presidente do Sindipol/ES, Jorge Emílio Leal.

 

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS