correndo-atras-do-prejuizo-policiais-civis-recuperam-submetralhadoras-furtadas-de-delegacia-em-vitoria

Os policiais da Polícia Civil capixaba demonstraram extrema competência, apesar da situação caótica enfrentada, ao encontrarem as armas que foram levadas da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), em Jucutuquara, Vitória.   O Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol/ES) parabeniza a todos os profissionais policiais da DPCA pelas investigações preliminares e levantamentos realizados, e também parabeniza os policiais da Divisão de Patrimônio pela conclusão das investigações com as respectivas prisões e recuperação das armas com rapidez e competência.

Em uma luta contra o tempo para impedir que criminosos utilizassem armas da polícia contra a população, os policiais civis procuraram pistas deixadas pelos suspeitos, identificaram testemunhas, traçaram toda a dinâmica do arrombamento e encontraram as armas e os criminosos que invadiram a Delegacia de Polícia.

O Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo lembra que hoje, a Polícia Civil capixaba sofre com políticas do Governo que desidrataram as instituições policiais, no que diz respeito ao número de profissionais e as condições de trabalho. Mesmo com todas as adversidades, com as péssimas condições estruturais das delegacias e a falta de valorização profissional, os policiais da Polícia Civil Judiciária seguem desempenhando e exercendo com excelência todas as suas atividades e atribuições em prol da sociedade capixaba.

“Gostaria de parabenizar a todos os policiais civis envolvidos na elucidação desse crime. Isso só demonstra o brilhante trabalho desenvolvido por todos os policiais civis, mesmo diante da falta de recursos materiais e humanos”, disse Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES.

BANDIDOS INVADIRAM A DELEGACIA E ROUBAM AS ARMAS DOS POLICIAIS

O crime foi descoberto na manhã da última segunda-feira (09) por um investigador da unidade quando chegou para trabalhar. Acredita-se que a invasão tenha ocorrido na madrugada de sexta-feira para sábado, dia do último jogo da seleção brasileira pela Copa do Mundo.

As investigações apontaram que os bandidos invadiram a delegacia pelos fundos, forçaram a grade, quebraram a janela e usaram um pé de cabra para arrombar o cofre e roubar duas submetralhadoras usadas pelos policiais. Veja a matéria

Desde 2015, as delegacias que não funcionam em regime de plantão não podem guardar armas apreendidas e armas de grande porte usadas por policiais civis. A recomendação partiu da Secretaria de Segurança Pública para evitar que delegacias sem segurança patrimonial fossem alvos de criminosos.

Com isso, em menos de três anos, 12 delegacias foram arrombadas no Espírito Santo. Só em 2017 foram quatro. Em 2015, bandidos invadiram unidades e furtaram até armas que haviam sido apreendidas. Para o Sindipol/ES, a falta de segurança patrimonial e as estruturas precárias são problemas que tornam as unidades policiais vulneráveis.

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS