policia-civil-recebera-armas-de-fabricacao-internacional

Após várias cobranças do Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol/ES), por meio de ofícios, reuniões, agendas e denuncias da péssima qualidade do armamento nacional, a Polícia Civil capixaba enfim será contemplada com armas de fabricação internacional e de grande capacidade. Trata-se da empresa austríaca Glock, uma das mais renomadas do mundo.

De acordo com o Governo do Estado foi aberta uma licitação, no valor de R$ 8 milhões para compra de quatro mil pistolas calibre .40 e 9 mm que serão destinadas à Polícia Civil e Militar. A previsão é de que os armamentos cheguem ao Estado até o fim deste ano.

Considerada uma das melhores marcas do mundo, a Glock é utilizada pelo FBI e pelas forças policiais dos Estados Unidos, além do exército austríaco. Para o Sindipol/ES é de extrema importância à aquisição de armamentos de melhor qualidade, pois o crime organizado está cada vez mais bem equipado. Além disso, muitos foram os casos de armas NACIONAIS que apresentaram defeitos durante o manuseio dos policiais.

Em um curso de tiro promovido pelo Sindipol/ES, buscando o aperfeiçoamento das técnicas usadas pelos policiais civis no combate a criminalidade, a diretoria do sindicato constatou falhas graves no equipamento então usado pelos policiais civis capixabas. Durante o curso de tiro, um dos policiais civis utilizou uma submetralhadora calibre .40 de uma marca nacional.

A arma era nova, tinha o brasão da Polícia Civil e foi retirada da caixa para o curso, porém, no primeiro tiro, o cano da submetralhadora estourou e quase machucou a mão do policial que estava em treinamento.

Por esse e tantos outros casos, o Sindipol/ES ao longo dos anos cobrou incessantemente das autoridades, encaminhando ofícios e se reunindo diversas vezes, a compra de armamentos de mais qualidade proporcionando aos policiais condições de trabalho. O Sindicato também tem cobrado a realização de novos cursos de tiro para todos os profissionais da Polícia Civil do Espírito Santo.

“Vamos continuar acompanhando de perto para ver se essas armas de fato vão chegar as mãos dos policiais civis capixabas. Precisamos de armamentos de melhor qualidade. Os criminosos estão cada vez mais equipados. Além disso, é inadmissível que uma arma falhe na mão do policial, colocando sua vida e de todos ao seu redor em pleno risco. Vamos continuar cobrando novas compras de armamentos e melhores condições para toda categoria, com o objetivo de sempre construir uma polícia civil mais eficaz e cidadã”, disse o presidente do Sindipol/ES, Jorge Emílio Leal.

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS