a-cada-duas-horas-tres-mulheres-sofrem-algum-tipo-de-violencia-no-estado

Em menos de um ano cerca de 10.495 mulheres sofreram violência física, ameaça de morte ou algum outro tipo de agressão no Espírito Santo. Com a maior taxa de feminicídio da região sudeste, os números revelam que a violência doméstica no Estado só tem aumentado.

São 38 casos de agressões registrados por dia, mais de 10.495 mulheres em apenas nove meses. Os casos foram registrados nas Delegacias de atendimento às Mulheres (Deams) e no Plantão Especializado da Mulher (PEM).

Do total de ocorrências registradas, 3.461 foram feitas na Região Metropolitana. Já entre os municípios o primeiro lugar do ranking é da cidade de Vila Velha, foram 1.086 mulheres vítimas, seguida por Cariacica, com 970, Vitória, 419, e Viana, com 121.

“A situação da violência contra a mulher é inadmissível e reflexo da ausência de políticas realmente estruturantes e eficazes no combate a esse tipo de crime”, disse, Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES.

Vítimas de feminicídios

Em 2017, o Espírito Santo registrou a maior taxa de feminicídios da região sudeste e ocupou o terceiro lugar entre os Estados do Brasil.  Foram 41 mulheres mortas em razão do gênero, ou seja, quando a vítima é morta por ser mulher. São 6 casos a mais que o ano anterior que registrou 35 casos. Ao todo no Brasil, em 2017, 946 mulheres foram vítimas de feminicídio.

A média no Estado é de duas mulheres mortas a cada 100 mil, número quatro vezes maior que que a taxa do país, de 0,5.  

Ainda em 2017, em todo o país foram 4.473 homicídios registrados contra pessoas do gênero feminino. Os dados foram levantados pelo Monitor da Violência e revelam que o número de assassinatos cresceu 5,6 em relação a 2016, quando foram registrados 4.201 casos no país.

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS