crise-por-falta-de-efetivo-sml-de-cachoeiro-nao-realizara-atendimentos-as-quintas-feiras

Sem efetivo, o Serviço Médico Legal de Cachoeiro de Itapemirim não vai funcionar nas quintas-feiras. O médico legista responsável pelos atendimentos deste dia vai tirar férias, e nenhum outro profissional foi designado para cobrir a ausência. O Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol/ES) constatou a situação.

“A situação é lamentável. Quando um profissional entra de férias, que aliás, são muito merecidas e um direito do trabalhador, outro médico deveria ser designado para fazer as funções. Sem efetivo, isso não ocorre, e a sociedade fica completamente prejudicada”, disse, o presidente do Sindipol/ES, Jorge Emílio Leal.

O SML conta com um médico legista para cada dia, ou seja, se um se ausentar, atividades essenciais não são realizadas. Além disso, nos finais de semana, feriados e no período na noite, o local fica com apenas um auxiliar de perícia. O profissional é responsável por recolher os corpos, prestar atendimento as famílias e as pessoas encaminhadas para exames de lesão.

Na entrada da unidade policial uma placa com os dizeres “não realizaremos atendimentos nas quintas-feiras” revolta a população. Ou seja, atendimentos importantes como a liberação de corpos só acontece no dia seguinte. Essa não é a primeira vez que a situação ocorre. Em agosto deste ano, o Sindipol/ES denunciou que por falta de efetivo, o SML não estava funcionando aos domingos. A situação foi resolvida. Veja a matéria.

WhatsApp Image 2018-11-28 at 12.11.29
Aviso anexado na porta do SML de Cachoeiro

 

Sindipol/ES já vem denunciando situação há anos

A diretoria do Sindipol/ES tem inspecionado unidades policiais de norte a sul do Espírito Santo e encontrado diversas irregularidades. Em novembro do ano passado, uma inspeção foi realizada no SML de Cachoeiro e além do baixo efetivo, foram constatadas péssimas condições de trabalho. Veja.

O SML de Cachoeiro de Itapemirim é mais uma das unidades que fazem parte da ação do Sindicato dos Policiais Civis em conjunto com o Ministério Público do Trabalho.

Na ocasião, o MPT instaurou um inquérito para apuração da situação de 38 delegacias capixabas. No caso do Serviço Médico Legal uma audiência foi realizada em maio do último ano e o Governo do Estado deveria realizar melhorias no local, mas, de lá pra cá, pouca coisa mudou.

“As inspeções já estão sendo feitas há mais de cinco anos e temos cobrado constantemente melhores condições de trabalho para os policiais civis. Realizamos ações individuais e em conjunto com o Ministério Público do Trabalho almejando uma polícia civil cada vez mais eficaz e cidadã. Vamos continuar cobrando e vamos oficiar aos órgãos competentes para impedir mais esse descaso com a categoria e com a sociedade”, finalizou, Jorge Emílio Leal.

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS