policial-civil-e-baleado-ao-tentar-evitar-assalto-na-serra

O Agente da PC/ES, de 35 anos, estava de folga e foi baleado por dois bandidos na noite de ontem enquanto entrava em um condomínio em Colina de Laranjeiras, na Serra. Ferido, o policial foi socorrido por militares para o Hospital Metropolitano e não corre risco de morte. Uma enfermeira também foi baleada e o disparo atingiu de raspão o seu quadril.

Segundo informações passadas pela polícia, o policial civil visualizou uma tentativa de assalto a um cidadão, reagiu e atirou contra os dois criminosos que estavam em uma moto. Armados, os bandidos acertaram o policial civil com um tiro abaixo do joelho direito e de raspão na perna esquerda.

“Ao reagir e defender o cidadão, o nobre guerreiro demonstrou o comprometimento integral e a dedicação exclusiva dos policiais civis com a árdua missão que é defender a população capixaba nos dias atuais. O Sindipol/ES se solidariza e torce para a sua recuperação”, disse o presidente do Sindipol/ES, Jorge Emílio Leal”.

FALTA DE INVESTIMENTOS

Policiais Civis também são vítimas da crise de Segurança no ES. Nos últimos anos, os guerreiros da polícia judiciária do Estado tem sofrido com a ausência de políticas estruturantes e pela falta de investimentos. Falta de tudo desde material básico de papelaria, estrutura adequada das delegacias a até mesmo profissionais.

Com apenas 1.907 ativos no combate ao crime e nas investigações, a PC/ES enfrenta uma situação caótica e o concurso público anunciado não supre a carência da falta de policiais civis no Estado.

“É uma situação caótica. O caminho é abrir concurso público para todos os cargos e oxigenar a polícia civil que está desidratada. Mesmo sobrecarregados, nossos policiais mostram resultados surpreendentes, mas, ainda assim, muitos casos são priorizados devido ao clamor popular e a pressão da imprensa”, criticou Jorge Emílio Leal.

Foto de capa: Daniela Carla/ TV Gazeta

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS