presos-sob-custodia-da-pces-podem-fugir-do-dml-de-vitoria

Por causa da falta de médicos legistas, presos sob custódia de policiais aguardavam do lado de fora do Departamento Médico Legal da capital para serem atendidos. Para o sindicato, o risco de fuga é alto e reflexo da defasagem no quadro operacional da Polícia Civil.

No último final de semana, o sindicato dos policiais civis do Espírito Santo recebeu a denúncia e constatou o problema. 13 presos estavam algemados e fazendo fila do lado de fora do Departamento Médico Legal de Vitória, enquanto aguardavam o atendimento com o médico legista. Os presos sob a custódia de policiais civis precisam passar pelo DML para o exame de corpo de delito, antes de seguirem para o presídio.

“Estamos falando de uma chance real de uma fuga em massa de presos, pessoas perigosas. Isso tem acontecido com frequência e coloca em risco a segurança de todos ao redor, principalmente a dos policiais civis, que escoltam presos sem as condições mínimas necessárias. São poucos policiais para fazer o transporte dos presos da delegacia ao DML. Em outras regiões do Brasil já existem relatos de presos que fugiram enquanto passavam por exames no DML”, explicou Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES.

Leia também:

POLÍCIA CIVIL CAPIXABA TEM POUCO MAIS DE 1.900 POLICIAIS CIVIS NA ATIVA

QUASE 11 MIL CRIMINOSOS COM MANDADO DE PRISÃO ESTÃO SENDO PROCURADOS NO ES

De acordo com o levantamento feito pelo Sindicato dos Policiais Civis (Sindipol/ES), a defasagem no quadro de funcionários operacionais da Polícia Civil do Espírito Santo já supera os 60% e,  a situação do Departamento Médico Legal de Vitória é apenas outro reflexo da falta de policiais. Segundo dados do Sindipol/ES, o Estado tem apenas 1.900 policiais civis na ativa e mais de 300 podem se aposentar a qualquer momento.

Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES
Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES

“O fechamento de delegacias e a grande quantidade de criminosos impunes pelas ruas não são invenções do sindicato. Diversas delegacias regionais foram fechadas na Grande Vitória e no interior do Estado. A população sente esse avanço da criminalidade provocado por políticas fracassadas em segurança pública. Nossos poucos policiais civis apresentam grandes resultados, fatos recentes mostram que muitos criminosos identificados e qualificados ainda estão traficando drogas, armas e matando inocentes”, finalizou Jorge Emílio Leal.

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS!!!