policiais-civis-tomam-conta-de-delegacia-fechada-em-cariacica

De acordo com Sindipol/ES, policiais civis estão dando plantão para proteger delegacia que está fechada para reforma, o que compromete o atendimento à população e a investigação de crimes na cidade.  A delegacia de Cariacica foi transferida provisoriamente para Vila Velha.

Dos 29 policiais civis que trabalham nos plantões da 4º Delegacia Regional de Cariacica, que na última semana foi transferido para a delegacia de Cobilândia, em Vila Velha, cinco policiais continuam cumprindo escala todos os dias na unidade fechada. Segundo o Sindicato dos Policiais Civis (Sindipol/ES), os profissionais estão de plantão para proteger o patrimônio público antes da reforma da delegacia começar.

“Apesar da delegacia de Cariacica já estar funcionando em Cobilândia, muitos veículos apreendidos continuam na unidade e podem ser depenados a qualquer momento, como já vinha acontecendo com a delegacia aberta. Os policiais também estão lá para impedir que moradores de rua ocupem o espaço da delegacia, já que a reforma ainda não começou”, pontuou Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES.

Veículos apreendidos ou recuperados em CariacicaVeículos apreendidos ou recuperados são “depenados” em Cariacica.

O plantão da 4º Delegacia Regional de Cariacica registra uma média de 25 ocorrência por dia e, para o Sindipol/ES, a retirada de cinco policiais para vigiar o prédio compromete o atendimento ao cidadão.

“Estamos vendo diariamente a população se queixando do avanço da criminalidade. É inadmissível deixar cinco policiais de plantão em uma delegacia fechada”, disse o presidente do Sindipol/ES.

CONDIÇÕES PRECÁRIAS

A Regional de Cariacica foi inspecionada várias vezes pela atual diretoria do Sindipol/ES, que registrou a falta de espaços para guardar materiais apreendidos, paredes com mofo e infiltração na unidade.

Além disso, veículos apreendidos ou recuperados se amontoavam na delegacia acumulando agua, o que gerou uma infestação de mosquitos. Pela falta de um pátio, os veículos ficavam na rua e em um terreno baldio. Muitos foram depenados por criminosos na porta da delegacia.

 A regional é a mesma delegacia onde em junho de 2018, um empresário de 69 anos, após ter seu carro recuperado de um assalto, foi novamente roubado em frente a unidade enquanto registrava o boletim de ocorrência.

Veja aqui como foi a inspeção na 4º Regional de Cariacica em 2017. 

DISTÂNCIA PODE ATRAPALHAR POPULAÇÃO

Apesar da reforma ser urgente, o Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo lembra que a transferência da delegacia para Cobilândia significa deslocar a população de Cariacica para outro município. 

Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES
Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES

“Assim como aconteceu na Serra, na delegacia de Novo Horizonte que foi para Jacaraípe, o morador de Cariacica vítima de algum crime vai percorrer uma distância considerável para registrar uma ocorrência. Sabemos que era extremamente necessária a reforma da delegacia, mas também é preciso pensar no deslocamento da população”, pontuou Jorge Emílio Leal.

Além da distância para a população, segundo o sindicato, as condições de trabalho continuam ruins para os policiais civis.

“A delegacia de Cobilândia não tem o mínimo de estrutura para receber um plantão, ainda mais um plantão agitado como é o Cariacica. Os policiais trabalham em um local improvisado, estão dividindo o banheiro com presos que aguardam a confecção de ocorrências.  Isso tudo afeta o serviço prestado à população da cidade de Cariacica”, finalizou o presidente Jorge Emílio Leal.

 

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS!!!