governo-garante-central-de-permuta-para-pces

A criação da Central de Permuta é um pedido antigo do Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo. De acordo com a Divisão de Recursos Humanos da Polícia Civil, o programa já está pronto e a Central de Permuta deve sair do papel em setembro.

Desde 2016 que o Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol/ES) cobra do governo capixaba e do comando da PC/ES a criação da Central de Permutas. A Central vai centralizar os pedidos de trocas dos policiais civis que desejam mudar de unidades. Na época, a diretoria do Sindipol/ES sugeriu que a central fosse uma ferramenta online, onde o policial disponibiliza os dados, a localização atual, o local para onde deseja ser transferido e a motivação da mudança. Essas informações ficariam num banco de dados até que a intenção de permuta fosse correspondida por outro servidor.

De acordo com o presidente do Sindipol/ES, Aloísio Duboc Fajardo, a Central de Permuta será da forma que o Sindicato sugeriu e deve começar a funcionar em setembro.

“A Central de Permuta vai agilizar a transferência dos policiais, trazer muitos benefícios aos profissionais e sem prejuízo administrativo para o governo, já que os postos de trabalho não ficarão desguarnecidos. É com muita satisfação que anunciamos a criação da Central de Permuta. Essa vitória não foi por acaso”, pontuou o presidente do Sindicato.

Aloísio Fajardo, presidente do Sindipol/ES
Aloísio Fajardo, presidente do Sindipol/ES

De acordo com o responsável pela Divisão de Recursos Humanos da Polícia Civil, o delegado Sérgio Melo, o programa que vai funcionar online já está pronto e a Central de Permuta deve começar a operar em setembro.

“Agradecemos ao comando da Polícia Civil, ao secretário de Segurança e ao governador que atenderam esse pedido antigo dos policiais. Nós do Sindipol/ES criamos uma Central de Permuta que funciona no nosso site. Foi uma tentativa de agilizar as trocas dos policiais, mas, para a central funcionar, dependíamos da autorização do comando da Polícia Civil”, finalizou Aloísio Duboc Fajardo, presidente do Sindipol/ES.

FORÇA, UNIÃO E LUTA