nota-de-repudio-criticas-ao-cargo-unico-na-policia-civil

O Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol/ES) lamenta a posição de alguns representantes de classe da Polícia Civil que foram a público criticar a proposta de Cargo Único que faz parte de uma discussão de nível nacional junto a Confederação Brasileira dos Trabalhadores Policiais Civis (Cobrapol).

A diretoria do Sindicato esclarece que a proposta de Cargo Único foi tecnicamente estudada e há mais de 10 anos está sendo discutida em todo o Brasil. Existem propostas e Projetos de Lei prontos em vários estados. O Cargo Único também foi debatido e apresentado no VIII Congresso do Sindipol/ES, em maio, recebendo elogios de vários policiais civis.

A proposta é unificar os cargos de agentes, investigadores e escrivães de Polícia, que no dia a dia sofrem com o acúmulo de trabalho e não são reconhecidos e valorizados como deveriam. Estudos já mostram que a unificação dos cargos pode aumentar a eficiência das investigações em até 200%. É um modelo que se aproxima das policiais mais modernas do mundo, como a norte-americana, por exemplo. Ao contrário do que disseram, na visão do Sindicato, o Cargo Único vai dar mais notoriedade a atividade do policial civil que, consequentemente, vai passar a ser mais valorizado pelo próprio governo.

A proposta do Sindipol/ES é baseada na Lei Orgânica Nacional, com pequenas alterações. O projeto piloto do Ceará, o Oficial de Polícia Judiciária (OPJ), provou ser eficiente ao acelerar o processo de investigação criminal, por isso, está sendo usado como exemplo e apresentado aos governos estaduais em todo o Brasil. A diretoria do Sindipol/ES está à disposição dos policiais para tirar dúvidas sobre a proposta de Cargo Único.

Para o Sindipol/ES, uma grande surpresa foi a crítica partir de um representante de classe que no passado participou e defendeu a mudança quando o projeto foi proposto pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), que sugeria até a extinção do cargo de escrivão de Polícia. O Sindipol/ES acredita que os representantes de classe em questão deveriam estar atentos, participando, opinando e propondo novas possibilidades, como a diretoria do Sindicato tem feito, para colaborar com a reformulação da Polícia Civil do país. Infelizmente, atitudes incoerentes são reflexos de pessoas vaidosas que, em alguns momentos, utilizam da confiança dos policiais civis em benefício próprio, para se autopromoverem, e o Sindipol/ES não concorda com isso.

A diretoria do Sindicato lamenta profundamente que ainda existam pessoas na Polícia Civil capixaba que são contra medidas importantes que irão beneficiar a categoria e toda sociedade.

O Sindipol/ES entende que a Polícia Civil é formada por uma categoria, a categoria policial civil. É preciso olhar para o futuro e garantir uma Polícia Civil de todos e para todos.

“FORÇA, UNIÃO E LUTA”