delegacia-de-montanha-em-menos-de-12h-bandidos-que-queimaram-carros-sao-presos

Um dos suspeitos tem 21 anos e o outro é menor de idade. Os dois confessaram o crime e disseram que foi uma represália pela prisão de um fugitivo do sistema penitenciário capixaba em abril. A rápida elucidação do crime só reforça a qualificação dos policiais civis capixabas e a necessidade de valorizar os profissionais da PC/ES.

Matheus Ferreira de Oliveira e um adolescente de 17 anos confessaram ter ateado fogo em carros apreendidos na delegacia de Montanha, no norte do estado. Eles disseram que o ataque foi uma represália pela recaptura de um fugitivo, identificado como Lucas de Jesus Almeida Santos, em abril. Os dois disseram ainda que o ataque foi encomendado por criminosos locais e que receberiam em dinheiro pelo incêndio.

Os policiais civis conseguiram imagens de câmeras de segurança da região, identificaram, prenderam os suspeitos e encontraram até as roupas usadas no momento do crime. Em depoimento, eles afirmaram que usaram apenas um pedaço de papel e um isqueiro para provocar o incêndio.

Oito veículos tiveram perda total. Foram destruídos pelo fogo que foi controlado pela população e por policiais militares que usaram um caminhão pipa da Prefeitura de Montanha. Um policial ainda conseguiu salvar duas viaturas e um carro apreendido. Todos os veículos incendiados são frutos de apreensões realizadas pela polícia e um deles era utilizado pela Delegacia de Montanha, com autorização judicial.

“Em apenas 12 horas esse crime foi solucionado, os suspeitos identificados e presos. Isso mostra o comprometimento e qualidade do trabalho dos nossos policiais civis, mesmo sem estrutura e valorização. É importante que a sociedade saiba que esses guerreiros trabalham sem uma estrutura adequada, não sabem o que é recomposição salarial faz tempo e mesmo assim saem de casa todos os dias para defendera população”, ressaltou Aloísio Duboc Fajardo, presidente do Sindipol/ES.

FALTA DE PÁTIO

Toda agilidade dos policiais civis na elucidação desse crime não pode encobrir uma carência que o sindicato encontrou em delegacias de Norte a Sul do estado, a falta de pátios, um espaço adequado para guardar veículos apreendidos com segurança e acesso restrito.

Em Montanha, os carros incendiados estavam estacionados do lado de fora, em frente à delegacia. Na Região Metropolitana de Vitória, veículos apreendidos são roubados dentro de pátios improvisados ou na porta das unidades.

O Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo parabeniza os profissionais envolvidos nas investigações do incêndio na Delegacia de Montanha pela agilidade e pelo crime atacar diretamente a imagem da Segurança Pública do estado. O Sindipol/ES segue lutando pela valorização e por melhores condições de trabalho para os policiais civis capixabas.

”FORÇA, UNIÃO E LUTA”