comissao-de-seguranca-garante-da-soberania-dos-fundos-das-policias-capixabas

A Comissão de Segurança e Combate ao Crime Organizado da Assembleia Legislativa, presidida pelo deputado Delegado Danilo Bahiense (PSL), trabalhou pela manutenção da soberania dos fundos das polícias durante a votação da aprovação dos PLCs 46 e 47/2019 que versam, respectivamente, sobre a criação do Fundo Estadual de Segurança Pública e Defesa Social (Fesp) e a reformulação do Conselho Estadual de Segurança Pública e Defesa Social (Coesp).

O Fundo Estadual de Segurança Pública e Defesa Social (Fesp) terá a finalidade de apoiar políticas, programas, projetos, atividades e ações na área de segurança pública e defesa social e na prevenção e repressão à criminalidade. Os recursos poderão ser usados para reequipamento, manutenção, modernização, treinamento e infraestrutura da segurança pública.

 A matéria foi aprovada com uma emenda do Delegado Lorenzo Pazolini (sem partido). E essa emenda teve o suporte da Comissão de Segurança e Combate ao Crime Organizado. Isso porque houve a interlocução do Dary Pagung, que colocou o deputado Danilo Bahiense em contato com o secretário-chefe da Casa Civil, Davi Diniz.

Bahiense conversou Diniz para que a emeda de Pazolini pudesse ser aprovada, que aponta que, sob nenhuma hipótese, serão destinadas para esse novo fundo as verbas a serem repassadas para os Fundos Especiais de Reequipamento da Polícia Militar (Funrepom), da Polícia Civil (Funrepoci) e do Corpo de Bombeiros Militar (Funrebom).

“Foi uma conversa muito produtiva e que serviu para manter as instituições fortalecidas”, afirmou o Delegado Danilo Bahiense.

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo, Aloísio Duboc Fajardo, destacou a importância da manutenção da soberania do Funrepoci.

 “Ele é muito importante, tendo em vista que a maioria dos investimentos está sendo proveniente por verbas desse recurso. De custeio a compra de equipamentos. Só temos que agradecer aos deputados que conseguiram que valores do fundo da polícia não sejam transferidos para esse novo que foi criado”.

 Fonte: Site do deputado Danilo Bahiense.