senador-fala-de-traicao-e-de-injustica-com-profissionais-da-seguranca-publica

Ao que tudo indica, o Projeto de Lei Parlamentar 39/2020 será vetado pelo presidente Jair Bolsonaro. A informação foi adiantada pelo senador Marcos do Val PODEMOS– ES, na noite dessa quinta-feira (21), durante a Live da Cobrapol, que também contou com a participação do deputado federal Charlles Evangelista PSL– MG.

Veja também: CONGELAMENTO DE SALÁRIO X LUCROS E JUROS: PLP 39/2020 SEGUE PARA SANÇÃO PRESIDENCIAL

Marcos do Val, grande parceiro e defensor dos servidores da Segurança Pública, não escondeu o sentimento de indignação e consternação com a postura do presidente da República. 

ENTENDA O QUE ACONTECEU

Na quinta-feira (21), o presidente Jair Bolsonaro pediu que os governadores apoiem o congelamento de salários dos servidores públicos como uma contrapartida do projeto de auxílio financeiro a estados e municípios . Ele disse também que vai vetar as mudanças no projeto propostas pelo Senado.

No Senado, a proposta original de Bolsonaro de congelamento de salário sofreu algumas alterações, entre as principais, estava o projeto do senador capixaba Marcos do Val. A proposta de do Val e do outro senador capixaba,  Fabiano Contarato, era abrir uma exceção e permitir o reajuste de salário para profissionais das áreas da saúde, da segurança e das Forças Armadas que atuam diretamente no combate à pandemia de Covid-19. Bolsonaro declarou que vai vetar a proposta do Senado e com o apoio dos governadores deve congelar o salario de todos os servidores públicos do Brasil. 

Veja aqui os detalhes.

imagem_materiaSenador Marcos do Val (PODEMOS – ES)

“O sentimento é de traição. Nós lutamos muito por isso. É uma grande injustiça com os profissionais da Segurança Pública, que estão na linha de frente arriscando suas vidas, e não estão sendo minimamente retribuídos. É um absurdo! Eu não acho explicação para isto: um presidente que foi eleito levantando essa bandeira, não reconhecer a importância dessa categoria. É lamentável”, disse Marcos do Val sobre a possibilidade do veto ao PLP 39/2020.

O deputado federal Charlles Evangelista também ressaltou a importância dos servidores públicos da Segurança Pública para a eleição de Bolsonaro.

“O presidente deve 50% da sua eleição a todos os servidores públicos da área da Segurança Pública, que foram os primeiros a abraçarem a campanha e apoiá-lo para ser eleito. Esse veto é no mínimo uma injustiça e uma enorme ingratidão com toda a classe que o ajudou a se eleger”, frisou o parlamentar eleito pelo estado de Minas Gerais.

A Live da Cobrapol contou com a participação em peso dos policiais civis do Espírito Santo. O presidente do Sindipol/ES, Aloisio Fajardo, agradeceu a todos que atenderam à convocação e afirmou a necessidade de permanecermos firmes na luta.

“Nós agradecemos imensamente a participação de todos os policiais na Live da Cobrapol. Agradecemos também por todo apoio que sempre tivemos do nosso grande amigo Senador Marcos do Val; a Polícia Civil do Espírito Santo sabe do seu comprometimento com toda a categoria. Vamos continuar a nossa luta em conjunto os nossos representantes e com a Cobrapol em busca do reconhecimento dos nossos policiais civis”, disse Aloísio Fajardo.

FORÇA, UNIÃO E LUTA!