familia-policia-civil-e-a-danca-conheca-um-pouco-da-historia-de-helio-martins-o-kojak

Brincalhão, dançarino e um excelente profissional que fez história na Polícia Civil do Espírito Santo. Hélio Martins é só alegria por onde passa. Aos 83 anos, “Kojak”, como é conhecido pelos amigos, esbanja simpatia e disposição.

Ser polícia está no sangue
Hélio é pai do também investigador Juliano Nascimento Martins, e cunhado do delegado Carlos Alberto Nascimento. Durante sua trajetória, atuou na Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes (Deten) e na Superintendência de Polícia Especializada (SPE).

O apelido é uma alusão ao conhecido detetive dos filmes e seriados estadunidense, Theo Kojak. Só que o nosso Kojak da vida real ficou famoso mesmo pelo seu excelente “faro” para solucionar investigações.

“Uma vez, eu e meus colegas fomos apurar uma denúncia sobre tráfico de drogas. Chegando ao local, fizemos a revista no suspeito e não achamos nada. Quando saímos vi que ele permaneceu no local, sentado em uma pedra, o que não é comum quando um suspeito é revistado. Foi aí que percebi que ali tinha algo. Não deu outra! Após abordagem mais minuciosa, as drogas estavam mesmo embaixo da pedra”, lembra.

Seu Hélio, o “Pé de valsa”
helio_danca
Conhecido por ser um ótimo dançarino, ele também contou sobre o amor pela dança e pelas viagens que sempre costuma fazer.

“Gosto muito de viajar e dançar. Já ganhei três concursos e sou muito conhecido na área. Costumava sempre ir ao clube 106, em Vitória. Parei de ir depois que a banda Clave de Sol parou de tocar no local e até hoje me perguntam por que nunca mais voltei”, contou.

O Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol/ES) se sente profundamente honrado em ter no seu quadro de sindicalizados pessoas como o nobre Kojak, e parabeniza o policial civil por todos os serviços prestados à sociedade capixaba e por essa alegria contagiante que torna o dia de todos mais feliz.

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS!