tecnico-em-seguranca-do-trabalho-aponta-ate-risco-de-contaminacao-no-sml-de-linhares

Na semana passada, a diretoria do Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol/ES) fez uma nova inspeção no Serviço Médico Legal de Linhares (SML), desta vez, na presença de um técnico em Segurança do Trabalho. A inspeção no SML de Linhares com o profissional foi uma exigência do Ministério Público do Trabalho, que pediu ao Sindipol/ES que atualizasse a situação das delegacias denunciadas pelo Sindicato em 2016. O técnico em Segurança do Trabalho, Allyson Mário Leopoldo, ficou impressionado com o que viu.

Quatro meses depois da última visita, não é exagero dizer que o Serviço Médico Legal é um paciente em fase terminal que só não foi a óbito pelo esforço técnico dos poucos policiais que trabalham por lá. O prédio foi interditado pela Defesa Civil Estadual em 2012, só que continua funcionando normalmente. As condições precárias de trabalho são as mesmas denunciadas ao MPT. Os policiais continuam usando lajotas e pedaços de madeira como encosto de cabeça durante a necropsia. Veja aqui.

Para o técnico em Segurança do Trabalho também existe risco de contaminação na unidade. Ele flagrou pessoas que fazem a manutenção do Serviço Médico Legal trabalhando sem os equipamentos de segurança necessários.

“Isso pode acarretar sérios riscos para a saúde dessas pessoas e até para as famílias delas. Depois de trabalhar por aqui, esses funcionários chegam em casa e não tiraram o sapato, por exemplo. Um simples detalhe que influencia na qualidade de vida de toda família”, explicou Allyson Mário Leopoldo, técnico em Segurança do Trabalho.

Outro grave problema que persiste no SML: Grande parte do efetivo que trabalha no Serviço Médico Legal é de funcionários da prefeitura de Linhares, o que na visão do Sindicato dos Policiais Civis caracteriza desvio de função, além de colocar em risco informações que deveriam ser sigilosas, que apenas policiais civis deveriam ter acesso.

O Sindipol/ES novamente vai levar o caso ao Ministério Público do Trabalho e espera uma intervenção do poder público na unidade da Polícia Civil, já que não existem condições mínimas para o local e nem estrutura mínima de segurança para o profissional e para o cidadão que depende dos serviços prestados no SML de Linhares.

“O Sindicato dos Policiais Civis nos últimos quatro anos vem fazendo inspeções sindicais em delegacias e unidades policiais de todo estado, a fim de constatar e denunciar as precariedades das instalações físicas e péssimas condições de trabalho dos policiais civis para adotar todas as medidas cabíveis na luta pela categoria”, disse, Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES.

SML de Linhares

 

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS