justica-suspende-assembleia-do-sinpol

A justiça entendeu que uma assembleia com a finalidade de excluir os investigadores do Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo para elevar o Sinpol a condição de SINDICATO é desnecessária.  É uma tentativa de um pequeno grupo que não busca o fortalecimento nem a união da categoria policial civil em conjunto com todos os seus cargos, busca apenas satisfazer a vaidade de uma pessoa em especial, que deseja montar um sindicato a todo custo para conseguir disponibilidade sindical e o imposto sindical, desprezando o interesse coletivo. Por isso, determinou a suspensão com urgência da assembleia marcada para segunda-feira (29).

A decisão que suspende a assembleia foi do Tribunal Superior do Trabalho (TST). O TST está convencido que uma assembleia para viabilizar a dissociação da categoria é apenas para o Sinpol conseguir seu registro sindical. O pedido de urgência para a suspensão da assembleia foi porque a justiça entende que a separação da categoria e o surgimento de um novo sindicato fere o princípio da unicidade sindical, segundo diz o próprio estatuto dos Policiais Civis do Estado do Espírito Santo.

Por fim, o Sindipol/ES esclarece que essa segunda tentativa de desmembramento dos investigadores é mais uma ação proposta por esse grupo pequeno de policiais civis que participou e perdeu as eleições no Sindipol/ES, e frustrados pela rejeição da categoria passaram a atacar o Sindicato dos Policiais Civis, como sempre fizeram. O Sindipol/ES lamenta essa atitude egoísta desse grupo e reafirma seu compromisso de lutar pelos direitos de todos os policiais civis do estado do Espírito Santo.

Clique aqui e veja a decisão da justiça.

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS!!!