em-menos-de-4-meses-6-delegacias-sao-fechadas-no-es

Uma ou mais delegacias são fechadas a cada mês no Espírito Santo. É o que mostra um levantamento feito pelo Sindipol/ES.  A mais recente baixa é a unidade de São Torquato, em Vila Velha, fechada no mês de abril. Diretores do Sindicato dos Policiais Civis estiveram no local e ouviram policiais e moradores da região.

As péssimas condições do Distrito Policial de São Torquato já haviam sido denunciadas pelo Sindipol/ES. A estrutura do imóvel era precária, o efetivo era baixo para atender as demandas dos 26 bairros que fazem parte da circunscrição da unidade. E mesmo com tantos problemas e muita demanda, a delegacia de São Torquato dava segurança aos moradores.

“Se a delegacia fechar, vamos ter que nos mudar. Não dá pra conviver com a bandidagem que está operando hoje nesse bairro”. Esse é o relato de José Luiz Honorato, morador há mais de 38 anos do bairro.

“Essa delegacia não deveria acabar. Pelo contrário, tinha que ser ampliada, reformada. O delegado é muito bom, os policiais são muito bons e sempre trataram todos com muito respeito”, completou o morador.

IMG_8244
Vice – presidente do Sindicato dos Policiais Civis Humberto Mileip (esq.), ao lado do policial civil Idelfonso e do diretor do Sindipol/ES Joel Martins (dir.)

 

 

Em maio de 2016, o Distrito Policial de São Torquato contava com um quadro operacional composto por um delegado, uma escrivã, três investigadores e um agente. A média mensal era de 90 inquéritos policiais e 20 boletins de ocorrência por dia.

Neste ano, até o fechamento, o efetivo era ainda menor; um delegado, dois investigadores e um escrivão.

Abaixo – assinado

Os moradores fizeram um abaixo-assinado no bairro para que a delegacia volte para a região. O documento já conta com cerca de 4 mil assinaturas. O comerciante Izaac dos Santos Coutinho é um dos que luta por esse retorno. Ele destacou a importância da unidade policial para toda a região.

“Desde o dia em que a delegacia foi fechada já tivemos vários eventos de violência na região. Os assaltos aumentaram, não temos mais a quem recorrer. Tínhamos profissionais que se esforçavam ao extremo pela população e hoje sentimos muita falta”, pontuou. Confira no vídeo abaixo o relato de alguns moradores e comerciantes. 

 

Demandas realocadas, já os profissionais….                                                       

Hoje, quem quiser fazer um boletim de ocorrência deve se dirigir até a delegacia de Cobilândia. No entanto, a delegacia já é bastante procurada e também tem um baixo quadro de policiais. São duas agentes de polícia, um investigador e um delegado. Além disso, a Regional de Vila Velha também funciona em Cobilândia desde o ano passado, o que aumenta ainda mais o trabalho.

Na última inspeção realizada, a DP registrava mensalmente 150 inquéritos, 12 termos circunstanciados e 270 boletins de ocorrência. O Sindicato apurou e constatou que somente as demandas foram transferidas para a DP, já o efetivo que estava em São Torquato foi designado para outras unidades. O delegado foi transferido para Guarapari, o escrivão para a Corregedoria, e os investigadores para Viana e Guarapari. Ou seja, a sobrecarga de trabalho em Cobilândia ficará ainda maior.

“A solução encontrada pelo Governo foi de mais uma vez desvalorizar o policial e a população ao invés de corrigir os problemas e proporcionar condições dignas a toda sociedade. Vamos continuar nossa luta, oficiar os órgãos competentes e impedir mais esse descaso com o policial civil e com a população capixaba”, disse, Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES.

 

Veja as fotos da Inspeção em São Torquato

 

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS