uniformizar-o-policial-civil-e-acabar-com-a-policia-judiciaria

O Departamento de Administração Geral (DAGE) da Polícia Civil do Espírito Santo publicou no diário oficial da última terça-feira (19/09) o pedido de credenciamento e renovação de empresas para fabricar um uniforme padrão para os policiais civis. O Sindipol/ES é contra e faz o alerta: o fardamento dos policiais civis capixabas pode comprometer ainda mais o trabalho de investigação.

A medida é polêmica e o Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo sempre foi contra. A proposta de uniformizar os profissionais da polícia judiciária é uma ideia completamente distorcida e oposta à apresentada pelo Sindipol/ES. O Sindicato defende um AUXÍLIO VESTIMENTA, OU AUXÍLIO APRESENTAÇÃO, mas o que está sendo imposto ao policial civil é o USO DO UNIFORME, uma farda que vai deixar o profissional exposto, comprometer o trabalho de investigação e a própria segurança do policial civil.

Para o Sindipol/ES, a uniformização da Polícia Judiciária é uma estratégia política para causar uma sensação de ostensividade e falsa segurança à população, vai contra o exercício das funções de combate ao crime do polícia civil previstas em lei. Além de ostensividade ser atribuição da Polícia Militar, o uso do uniforme (farda) identifica, fragiliza e engessa o policial civil nas funções rotineiras. O policial civil não tem formação para atuar dessa maneira, por isso, o Sindicato também entende que uniformizar coloca a vida dos policiais civis em risco.

O Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo promete tomar a medidas necessárias para que garantir a integridade do policial civil e o serviço prestado a população capixaba.

“A polícia judiciária não é polícia ostensiva. Obrigar o policial a usar uniforme, farda, ou qualquer que seja o nome que se dê, é o mesmo que engessar a polícia civil, pois coloca em risco a vida do profissional e atrapalha em todo processo de investigação, atribuição inerente à polícia judiciária, garantida pela constituição”, disse, Jorge Emilio Leal, presidente do Sindipol/ES.

Veja a publicação no DIO/ES

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS!!!