sindipoles-cobra-valorizacao-para-policiais-que-trabalham-na-divisa-do-es

O Sindipol/ES recebeu denúncias sobre policiais civis que atuam na divisa do Estado, no Planejamento Estratégico Fronteira Segura, trabalhando na folga, sem pagamento de gratificações e estrutura, um regime que o Sindicato considera análogo a escravidão.  

Os policiais civis estão trabalhando para inibir que criminosos do Rio de Janeiro venham para o Espírito Santo após a intervenção Federal. As informações que chegaram ao Sindipol/ES apontavam que os policiais civis estavam recebendo, no máximo, meia diária (R$ 56,00) e trabalhando 24 horas a mais.

Para entender o que estava acontecendo e defender os direitos dos policiais civis, a diretoria do Sindicato marcou uma reunião com o Chefe de Polícia, o delegado Guilherme Daré. Imediatamente, o chefe de Polícia enviou ofício e entrou em contato com o Superintendente, solicitando que os policiais civis fossem remunerados da forma correta.

“Esse é o nosso papel. Lutamos pelos direitos do Policial Civil capixaba. Não podemos aceitar que o policial civil trabalhe mais, seja deslocado para outra cidade, fique longe da sua família e não receba a mais por isso.  Queremos agora que o ISEO contemple também situações excepcionais”, explicou Aloísio Fajardo, diretor do Sindipol/ES.

SINDICATO PEDE QUE USO DA ISEO SEJA AMPLIADO

A Indenização Suplementar de Escala Operacional (ISEO) é destinada para pagar despesas de policiais civis e militares que são convocados de forma extraordinária, fora das suas escalas normais ou especiais. Essa indenização é destinada a suprir despesas com deslocamento para outro município, gastos com viagens, alimentação e aquisição emergencial de material de pequeno valor para uso profissional.

A ISEO é usada em Operações Especiais e não se aplica no Planejamento Estratégico Fronteira Segura, que é uma ação EMERGENCIAL, por isso, o Sindipol/ES pediu ao Chefe de Polícia e também ao secretário de Segurança do Estado, André Garcia, que eles revejam aplicação desse recurso. Atualmente, o Governo disponibiliza 540 ISEOS por mês, a proposta é que o número passe para aproximadamente 1.100 e possa ser aplicados em outras ações policiais, inclusive, em ações emergenciais.

O Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo também pediu ao Chefe de Polícia que a convocação dos policiais para ações como o Fronteira Segura seja de forma voluntária.

“Pelo menos no primeiro momento essa convocação poderia ser voluntária. Já sobre a ISEO, acreditamos que a Polícia Civil vai ganhar mais agilidade. Assim, teremos recursos para atuar de forma mais eficiente no combate ao crime”, finalizou Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES.

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS!!!