tudo-que-esta-ruim-pode-piorar

Essa é a situação da Polícia Civil do Espírito Santo. Na última semana, dois casos demonstraram que os policiais civis capixabas e a sociedade são reféns da falta de uma política de Estado realmente estruturante. Na última terça-feira (27), a DP de Cobilândia aumentou sua circunscrição. Já no sábado, a 3ª delegacia regional de Serra ficou fechada por falta de efetivo.

Os casos

Delegacia de Serra fechada por seis horas

No último sábado (31), a 3ª delegacia regional de Serra ficou fechada por cerca de seis horas. O motivo? Faltam policiais civis. O efetivo policial da unidade está totalmente defasado e como os dois policiais saíram para fazer o acompanhamento de adolescentes à unidade socioeducativa, restou apenas um para atender todas as ocorrências, inclusive, receber os presos levados pela Polícia Militar.

Faltam policiais, mas sobra trabalho

Nesta segunda-feira (02), foi publicada no Diário Oficial do Espírito Santo, a extensão das atribuições do titular da delegacia de Cobilândia até a DP de São Torquato. Vale lembrar, que a unidade de São Torquato foi fechada no ano passado e conta com uma grande circunscrição, 26 bairros.  Veja.

Já a 18º Distrito Policial de Cobilândia, também possui uma alta demanda, e agora, além de acumular as funções da Regional de Vila Velha, também será responsável pelas demandas da antiga unidade de São Torquato. Na última inspeção realizada pelo Sindicato, a DP de Cobilândia registrava mensalmente 150 inquéritos, 12 termos circunstanciados e 270 boletins de ocorrência.

Ocorre que, mesmo com a alta demanda, a delegacia apresenta um baixo número de policiais e condições estruturais longe de serem adequadas, conforme constatou o presidente do Sindipol/ES, Jorge Emílio Leal, em Cobilândia. O mesmo também foi constado em inspeções sindicais por todo o Estado.

Faltam policiais civis

Em 1996, o número de habitantes no Espírito Santo era de 2.790.206 milhões. Naquele período, o efetivo da polícia civil capixaba era composto por 3.821 policiais. A última estimativa do IBGE traz que a população do Estado é de cerca de 4.016. 356 milhões. Já o quadro de policiais civis da ativa é de pouco mais de 2.200 profissionais.  Uma defasagem de aproximadamente 60%. Os cargos da Superintendência de Polícia Técnico-Científica, por exemplo, estão defasados em 80%.

“De forma vexatória, no ano passado, em menos de seis meses, quatro delegacias foram fechadas no ES. O Governo fecha as unidades policiais e simplesmente realoca as demandas para outras unidades. O problema é que os poucos policiais, que já estão sobrecarregados, ficam ainda mais. Precisamos de concurso público com mais vagas. Nosso efetivo hoje está defasado em cerca de 60%, não podemos aceitar essa situação e vamos continuar lutando contra o estado de precariedade da instituição policial”, disse, Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES.

 

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS