sindipoles-expressa-solidariedade-a-aureo-cisneiros-presidente-do-sinpol-pe

O Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol/ES) vem a público expressar solidariedade ao presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol-PE), Áureo Cisneiros, pela perseguição política e sindical que vem sofrendo do governador do Estado, Paulo Câmara (PSB).

De acordo com a nota do Sinpol-PE, ao longo dos anos a frente do sindicato, já se somam contra o presidente 12 Processos Administrativos Disciplinares (PAD’s) e um criminal, todos em razão, estritamente, pelo exercício da atividade sindical.

Ou seja, as ações são movidas com base nas diversas reinvindicações realizadas pelo Sinpol-PE em prol de melhores condições para que os policiais civis possam prestar um serviço profissional de qualidade para a sociedade pernambucana.

Ainda segundo a nota, ao invés de apostar no diálogo e ouvir as reinvindicações do sindicato, o Governador Paulo Câmara por meio da Secretária de Defesa Social decidiu demitir o presidente do Sinpol-PE.  

Para o presidente do Sindipol/ES, Jorge Emílio Leal, diante dessa situação, todas as ações do governador pernambucano que atentem contra a dignidade e a representatividade constitucional dos sindicalistas são ilegais e vão contra todos os direitos instituídos e garantidos pelo Estado democrático de direito no Brasil.

Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES
Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES

“Vivemos em um país democrático que não comporta qualquer tipo de arbitrariedade, abuso ou perseguição, principalmente contra os representantes sindicais que tem o dever constitucional de defesa da categoria a qual representa, a fim de se alcançar justiça e defender por meio da atuação sindical os direitos, garantias e prerrogativas dos trabalhadores”, concluiu.

 


JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS