SINDIPOL/ES PEDE AO GOVERNO A REABERTURA DO ESTANDE DE TIRO

Comunicação SINDIPOL-ES | 26/05/2021

news

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol/ES), Aloísio Fajardo, pediu oficialmente ao secretário de Governo, Gilson Daniel, nessa segunda-feira (24), que o Comitê de Crise avalie a viabilidade do Sindipol/ES reabrir o Estande de Tiro para a formação continuada dos policiais civis e para o treinamento de novos policiais e de outros profissionais de segurança.

 

 No documento enviado ao secretário de Governo, o Sindipol/ES lembrou que o Estande de Tiro está com as atividades suspensas, seguindo as determinações do mapa de Risco do estado. Entretanto, com a redução dos índices de contágio e de mortes, para o presidente do Sindicato, é possível reabrir o Estande com segurança.

 

O Estande de Tiro do Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo é considerado por muitos especialistas como um dos três melhores do país. É um local de treinamento contínuo de policiais civis e um espaço usado por diversas instituições para a formação profissionais, como a própria Polícia Civil, a Polícia Militar, Rodoviária Federal, Sejus, Bombeiros, Magistrados e Promotores, por exemplo.

 

“Sabemos da importância do Estande e sabemos do árduo trabalho para conter o avanço da pandemia no estado. Apesar de espaços com menos estrutura e com a mesma finalidade do Estande estarem funcionando, não queremos comprometer a saúde de nenhum profissional. Por isso, estamos pedindo oficialmente ao Governo a reabertura do nosso Estande de Tiro”, explicou Aloísio Fajardo.

 

 O presidente do Sindipol/ES reforçou que a Acadepol e a Prefeitura de Cariacica já pediram para usar o Estande de Tiro.

 

“Sabemos das demandas da Acadepol e da Guarda Municipal de Cariacica. Temos ainda os nossos policiais civis, que precisam estar em treinamento constante. Fizemos um grande investimento para fazer do nosso Estande de Tiro uma referência para o país e temos totais condições de retomar as atividades com segurança, seguindo os protocolos sanitários”, finalizou.

 

FORÇA, UNIÃO E LUTA