maria-de-fatima-coelho-mulher-guerreira-e-de-muita-coragem

Maria de Fátima Coelho é escrivã de polícia aposentada e uma verdadeira guerreira na defesa da sociedade capixaba. Ela participou da captura de Edmilson Cândido do Rosário, um dos criminosos mais perigosos da história do Estado. Por isso e outras coisas que não poderia deixar de ser a personagem de hoje da série perfil do aposentado.

Ao todo, a nobre sindicalizada soma 35 anos de carreira policial. Fátima, como é conhecida, trabalhou inicialmente na antiga Decapepi. Depois passou pela Patrimonial, Costumes e Diversões, Novo México, Viana, Cariacica, Itarana, Alfredo Chaves e Guarapari, unidade que ficou a maior parte de sua vida na polícia. Foram 19 anos.

maria de fatima 1

Entre várias ações de defesa da população, a escrivã destaca a prisão de Edmilson Cândido do Rosário. Ele era o criminoso mais procurado da época e um dos mais famosos da história do Espírito Santo. Fátima era a única mulher presente.

Também participaram da operação o delegado Armando Macedo, Sérgio Falcão, Gilson Lopes, Celso Ferrari e outros policiais.

“Foi um caso que marcou muito. Ele era muito procurado e perigoso”, conta Fátima.

Policiais comemorando a prisão de Edmilson.
Policiais comemorando a prisão de Edmilson.

Sindicalizada desde a fundação do Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol/ES), continua ativa na busca pelos direitos da sociedade.  Mesmo aposentada, Fátima esteve junto em Brasília para lutar contra a Reforma da Previdência.

“Todas as lutas que tiverem eu vou estar presente. Lá em Brasília a adrenalina subiu, foi muito importante”, concluiu.

O presidente do Sindipol/ES, Jorge Emílio Leal trabalhou com a escrivã e falou sobre a colega.

“Tive o prazer de trabalhar com ela em Novo México e no DPJ de Vila Velha. É uma grande amiga e muito guerreira, sempre presente nas lutas. Tenho muito honra em conhecê-la e principalmente ser um amigo”, falou.

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS