policiais-civis-sao-fundamentais-na-elucidacao-de-crime-que-abalou-o-estado

Mais uma vez, o trabalho dos Policiais Civis do Espírito Santo foi fundamental na elucidação de um crime. Os profissionais foram responsáveis por desvendar a barbárie cometida contra os irmãos Joaquim, 3, e Kauan, 6, no município de Linhares, norte do Estado.

Após 30 dias de muito empenho, de acordo a polícia concluiu-se que George Alves abusou sexualmente e ateou fogo nas duas crianças, um era seu próprio filho e outro enteado. Foi somente graças ao trabalho dos peritos da polícia civil que o crime foi desvendado.

De acordo com o chefe da Regional de Linhares, André Jaretta, as investigações apontaram ainda que as crianças morreram carbonizadas e que o fogo foi ateado no quarto dos meninos quando ainda estavam vivos.

“Naquela madrugada, o investigado molestou as duas crianças, consistente em coito anal. Isso foi demonstrado pelo encontro de uma substância denominada PSA, encontrada no sêmen humano. Essa substância foi encontrada no orifício anal das duas vítimas”, afirmou o delegado.

Também é importante destacar o brilhante trabalho dos investigadores capixabas. Eles foram atrás de testemunhas, câmeras, ligações, tudo para traçar toda a dinâmica do crime, como ocorreu, qual eram os antecedentes do criminoso com o objetivo de comprovar se a afirmação do pastor de que foi tudo um acidente era verdadeira ou não.

As investigações também apontaram que as crianças foram agredidas fisicamente e levadas vivas para o quarto, quando foram queimadas. “Elas morreram carbonizadas, pois apresentavam uma substância na traqueia que demonstravam que elas respiravam na hora do incêndio”, contou.

Por fim, a polícia concluiu que o acusado, após atear fogo no local ficou andando de um lado para o outro, dentro de casa, com as portas fechadas. Testemunhas viram a cena, arrombaram o portão e tentaram prestar socorro, mas não havia mais o que fazer. “Posteriormente ele tentou se promover publicamente, tentando passar uma personalidade inversa daquilo que ele demonstrou”, concluiu o delegado.

Para o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol/ES), Jorge Emílio Leal, o trágico caso só foi desvendado graças a brilhante atuação dos policiais.

Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES
Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES

“Gostaria de parabenizar a todos os policiais civis envolvidos na elucidação desse trágico crime. Isso só demonstra o brilhante trabalho desenvolvido por todos os policiais civis, mesmo diante da falta de recursos materiais e humanos. Gostaria também de prestar minha solidariedade a todos os familiares e amigos das duas crianças vítimas dessa crueldade”, disse.

 

*Com informações do Folha Vitória

 

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS