policiais-civis-ja-identificaram-supeitos-de-arrombamentos-em-loja-da-grande-vitoria

Assaltos a comércios tomaram conta do Espírito Santo. Nos últimos doze dias, uma mesma loja de móveis e eletrodomésticos foi assaltada duas vezes. Mesmo com todas as dificuldades estruturais e o baixo efetivo, os policiais civis já prenderem quatro pessoas acusadas de receptação e identificaram dois suspeitos de participarem do crime.

O caso                             

A loja que fica localizada no bairro Porto Canoa, na Serra, foi invadida pela primeira vez no dia 25 de julho. Os assaltantes usaram uma caminhonete para arrombar a porta. Foram levados eletrodomésticos, televisões e celulares. Doze dias se passaram e novamente o local foi assaltado.

No dia 7 de agosto, os criminosos também utilizaram um veículo para arrombar a loja. Eles levaram aparelhos celulares e outros eletrônicos.

Dados impressionam

Segundo a Federação do Comércio (Fecomércio), em 2017, o Estado registrou 3.600 arrombamentos, uma média de 300 crimes por mês,   aproximadamente dez por dia em todo o Estado. A Grande Vitória é responsável pela metade dos casos.

Nesta quinta-feira (09), representantes da Fecomércio se reuniram com a cúpula da segurança pública pedindo mais policiais nas ruas e mais celeridade nas investigações. No entanto, atualmente, o efetivo da Polícia Civil capixaba está defasado em quase 60% de acordo com os dados do Sindipol/ES. A categoria necessita urgentemente de investimentos.

O Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol/ES) parabeniza os profissionais que mesmo diante do baixo efeito e das péssimas condições de trabalho, seguem desempenhando um grande trabalho na defesa da sociedade.

“Nossos policiais civis estão de parabéns. Mesmo sem efetivo, sem condições dignas de trabalho, continuam desempenhando um brilhante papel na defesa da sociedade. Para que as investigações sejam mais rápidas, o Governo deve investir nos profissionais, pois hoje, a situação em que se encontram os profissionais da polícia civil capixaba, é lamentável”, disse o presidente do Sindipol/ES, Jorge Emílio Leal.

 

Foto/Ricardo Medeiros

 

 

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS