censura-policiais-civis-nao-conseguem-acessar-site-do-sindipol-nas-delegacias

O Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol/ES) recebeu diversas reclamações. Os policiais explicaram que não conseguem acessar o site do Sindipol/ES de dentro das delegacias do estado. Quando acessado de fora da rede das delegacias, o site abre normalmente.

Para o presidente do Sindipol/ES, Jorge Emílio Leal, a situação é lamentável e necessita de apuração.

“O site do Sindipol/ES é atualizado diariamente com informações importantes e de interesse de toda categoria policial civil. São notícias que variam de operações, ações judiciais em andamento, convocações para assembleias e até mesmo o descaso do Governo. Podemos estar diante de um caso clássico de censura e não iremos admitir isso”.

O Sindicato entrou em contato com o setor responsável da Polícia Civil, que alegou não haver nenhuma restrição quanto ao acesso dos policiais ao site. Para o Sindipol/ES, dificultar o acesso a informação pode ser mais uma estratégia do executivo para enfraquecer a Polícia Civil capixaba e a única organização sindical constitucionalmente reconhecida para representar os profissionais da instituição, já que o Sindipol/ES tornou público diversas vezes a falta de investimento e o consequente sucateamento da Polícia Civil no Espírito Santo.

Uma das “marcas registradas” do atual Governo do Estado é dificultar o acesso ou distorcer informações importantes para a sociedade. Em fevereiro de 2017, durante a paralisação da Polícia Militar, a Secretaria de Estado e Segurança Pública (SESP) não informava os números de crimes à imprensa. Com isso, foi o Sindipol/ES, através inspeções nas delegacias naquele período, a principal fonte de informação da população capixaba.

Recentemente, vários veículos de comunicação reclamaram da dificuldade em conseguir dados oficiais com a SESP sobre crimes no Espírito Santo. Muitos ainda recorrem ao Sindipol/ES e, em alguns casos, é necessário entrar na justiça contra o Estado para garantir o cumprimento da Lei de Acesso a Informação e o dever de transparência e utilidade pública necessários a sociedade.

“O Sindipol/ES e toda sua diretoria está monitorando essa situação. Pedimos aos policiais civis que nos comuniquem. A informação é um direito de todos e como organização sindical legítima, iremos sempre defender os direitos dos policiais civis capixabas”, finalizou Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES.

 

Foto/Divulgação.

 

 

 

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS