gravida-baleada-na-praia-traficantes-camuflados-na-mata-e-populacao-insegura

Para Sindipol/ES, casos são exemplos da insegurança vivida pela população capixaba por causa da falta de investimentos e de valorização das forças policiais do Espírito Santo. Situação se agravou na última gestão do governo estadual.

No final de semana, testemunhas contaram que um homem armado assaltou um bar em Jacaraípe e na fuga atirou em direção a praia. Foram pelo menos quatro disparos e um acertou uma professora grávida de oito meses. O tiro que atingiu a barriga da professora, perfurou o intestino e outros órgão, obrigando a mulher de 31 anos a fazer um parto de emergência.

A bebê, segundo informação de familiares, está na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN). A previsão é de que ela fique internada até ganhar peso para ter alta médica. O pai informou que a professora e a bebê precisam de doação de sangue. Quem quiser ajudar, ele orienta que procure o Hemocentro da Serra e direcione a doação para a esposa e a filha. O tipo sanguíneo das duas é O Negativo.

“Jacaraípe tem uma delegacia que não funciona em regime de plantão e não tem o número suficiente de policiais civis para investigar tantos crimes na região. Inclusive, pela falta de efetivo, a delegacia de Novo Horizonte também está funcionando em Jacaraípe, ou seja, são duas delegacias em um único espaço e sem estrutura”, explicou Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES.

Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES
Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES

TRAFICANTES CAMUFLADOS

Criminosos armados e usando roupas camufladas voltaram ao noticiário do Espírito Santo depois que vídeos encontrados em telefones apreendidos em operações foram divulgados. Nas imagens, os soldados do tráfico aparecem com pistolas e rádios comunicadores nas mãos, vigiando comunidades da Grande São Pedro e Santo Antônio.

São criminosos ligados a uma facção criminosa que está invadindo comunidades da Grande Vitória e aterrorizando moradores para expandir o comércio de drogas. Para o Sindipol/ES, a formação e o avanço dessa facção criminosa são exemplos da falta de gestão em segurança pública dos últimos anos, principalmente no governo Paulo Hartung.

“A falta de investimentos e de políticas estruturantes de segurança deixaram que esses traficantes se organizassem ao ponto de fundarem uma facção criminosa. A situação se agravou no governo Paulo Hartung, que fez cortes significativos nos investimentos e não abriu concurso público para suprir a carência de policiais civis. Mesmo com tantas dificuldades, os policiais continuam mostrando resultados impressionantes, porém, sabemos que a criminalidade avançou e está avançando”, finalizou o presidente do Sindipol/ES e especialista em segurança pública, Jorge Emílio Leal.

 

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS!!!