fuzil-sovietico-na-guerra-do-trafico-no-morro-do-macaco

Uma operação da Polícia Militar apreendeu no Morro do Macaco, em Vitória, dois fuzis AK-47 calibre 762, munição e drogas. O armamento pesado e utilizado em guerras estava nas mãos de criminosos da região.

O Morro do Macaco, localizado na região de Maruípe, se tornou o alvo de traficantes que disputam o controle de pontos de venda de drogas. Nessa guerra de criminosos, recentes apreensões e prisões mostram o poder de fogo dos traficantes do Espírito Santo. Durante uma operação realizada no alto do morro, a PM encontrou dois fuzis AK-47, armamento soviético e considerado por especialistas a arma mais letal da história. Além dos fuzis, quatro carregadores, 92 munições, 21 pinos de cocaína, um celular e uma balança de precisão foram apreendidos. O material foi encontrado após uma intensa troca de tiros e perseguição.

“Esses fuzis são capazes de atravessar o colete de um policial e até mesmo uma parede. A situação é crítica. Precisamos de investimentos em armamento e treinamento para dar uma resposta ao cidadão. Hoje, não é exagero dizer que os bandidos estão mais bem armados que os policiais”, disse Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES.

Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES
Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES

TRAFICANTES CAMUFLADOS

No dia 23 de janeiro, um adolescente vestindo roupa camuflada, armado com uma pistola calibre .40 e outras seis pessoas foram presas em uma operação no Morro da Conquista, em Vitória.

No telefone encontrado com os suspeitos, a polícia encontrou uma fotografia de outros traficantes fortemente armados com fuzil, submetralhadora israelense e usando roupas camufladas no meio de uma mata. 

Em outra operação, criminosos também bem armados e usando roupas camufladas voltaram a chamar atenção no noticiário do ES depois que vídeos encontrados em telefones apreendidos foram divulgados. Nas imagens, os soldados do tráfico aparecem com pistolas e rádios comunicadores nas mãos, vigiando comunidades da Grande São Pedro e Santo Antônio. Saiba mais.

Para o Sindipol/ES, a formação e o avanço da criminalidade são exemplos da falta de gestão em segurança pública dos últimos anos, principalmente no governo Paulo Hartung.

“A falta de investimentos e de políticas estruturantes em segurança possibilitou a organização dos traficantes. A situação se agravou no governo Paulo Hartung, que fez cortes significativos nos investimentos e não abriu concurso público para suprir a carência de policiais civis. A população sente que a criminalidade avançou e está avançando”, finalizou o presidente do Sindipol/ES.

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS