upb-es-se-reune-para-definir-mobilizacao-contra-a-reforma-da-previdencia

As entidades sindicais que compõem a União dos Policiais do Brasil no Espírito Santo, entre elas, o Sindicato dos Policiais Civis (Sindipol/ES), se reuniram na sede da AGENPOL para defender os direitos dos profissionais de segurança pública que estão ameaçados pela reforma da Previdência do governo Bolsonaro.

Além do Sindipol/ES e Agenpol, representantes da Aepes, do Sindaspe, Sinases e SINPRF participaram do encontro. As organizações sindicais planejam manifestações em repúdio à reforma da Previdência no estado e, caso seja preciso, em Brasília.

O presidente do Sindipol/ES, Jorge Emílio Leal, destacou a importância da união nesse momento.

“É um momento delicado e determinante para o cidadão e para os profissionais de segurança pública de todo o Brasil. Não podemos e não iremos aceitar o corte de direitos para beneficiar empresários e banqueiros. Não é justo que o policial civil trabalhe a vida inteira defendendo a sociedade e não tenha direito de se aposentar”, pontuou.

Jorge Emílio Leal, que também é especialista em segurança pública, lembrou das manifestações do ano passado. Em 2018, no governo do então presidente Michel Temer, a diretoria do Sindipol/ES convocou caravanas, levou policiais civis capixabas para Brasília e uniu forças com profissionais de todo o país. Uma união histórica que não permitiu que a reforma da Previdência fosse colocada em votação.

“Estivemos na linha de frente e derrubamos a proposta de Reforma da Previdência do presidente Temer. A proposta de Bolsonaro é até pior do que a do Temer e não vamos aceitar”, finalizou o presidente do Sindipol/ES.

 

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS!!!