sindipol-repudia-determinacao-do-sub-secretario-institucional-da-secretaria-de-seguranca-publica-do-es-delegado-de-policia-guilherme-pacifico

Os policiais foram surpreendidos por um documento expedido pelo sub-secretário Institucional da SESP, Guilherme Pacífico, que “determina” ao delegado-geral da Polícia Civil que comunique aos policiai civis que NÃO PODERÃO adentrar com suas armas no estádio Kleber Andrade para assistir aos jogos do campeonato mundial sub-17. Se já não foi trágico tal determinação, ainda determina ao Delegado Geral que acione a Corregedoria.

Diante desses fatos, o Sindipol/Es fez contato com o sub-secretário para demove-lo dessa proibição que contraria Lei Complementar Estadual e ainda coloca os policiais civis em grande risco no seu deslocamento. Porém, algo infrutífero!!!

Segundo o sub-secretário, apenas policiais com credenciais da FIFA poderão entrar armados no Estádio Kléber Andrade para acompanhar as partidas da Copa do Mundo sub-17, porque trata-se de um protocolo FIFA.

O Sindipol/ES repudia essa decisão arbitrária contra aqueles que dão suas vidas pela segurança do Estado e lamenta profundamente a postura do delegado-geral que “lavou as mãos” na defesa das prerrogativas institucionais prevista na Lei 3.400/1981. O sindicato esclarece que o livre acesso e o porte de arma são prerrogativas garantidas ao policial civil por meio da Lei nº 3400/81 e devem ser respeitadas por todos. Um protocolo desportivo internacional não se sobrepõe a uma lei.

A mesma lei que permite o acesso dos policiais civis armados ao estádio, também exige que o policial ande com sua funcional e sua arma, podendo sofrer punição e sanções administrativas caso seja violada. MAIS UM VERDADEIRO CONTRASSENSO!!!!

Os policiais civis apresentam resultados impressionantes em defesa da sociedade, mesmo trabalhando em delegacias precárias, sobrecarregados e sem valorização salarial, por exemplo. Os recentes números tão festejados pelo governo só reforçam a competência dos nossos policiais. E é assim que somos tratados?

No mínimo, essas autoridades deveriam ter mantido uma equipe para acautelar as armas dos policiais que forem aos jogos. O mínimo a se fazer! Fica claro que não querem que policiais vão ao Estádio assistir aos jogos, porque terão que ir desarmados ou deixar suas armas dentro de veículos, e isso inviabiliza o direito ao lazer daqueles que apreciam o futebol.

O Sindipol/ES lamenta a situação por que acredita que o clima deveria ser de festa, já que o estado recebe pela primeira vez uma Copa do Mundo de Futebol, mas informa aos policiais civis que não ficará inerte ao ocorrido e irá acionar a justiça para garantir os direitos e as prerrogativas dos policiais civis capixabas.

 

A DIRETORIA