mortometro-centenas-de-policiais-ja-foram-mortos-em-2017

A Ordem dos Policiais do Brasil (OPB) divulgou um dado preocupante. Desde janeiro deste ano, cerca de 245 policiais foram mortos em serviço ou em decorrência da profissão no país. A matéria reforça a afirmação do presidente do Sindipol/ES, Jorge Emílio Leal, de que a polícia é um das profissões mais perigosas do Brasil.

O estado do Rio de Janeiro lidera a estatística com 83 óbitos registrados. O mês de janeiro foi o líder do ranking com dois policiais mortos por dia. A média de idade dos casos registrados é de 41, 85 anos. O Espírito Santo aparece na 16ª colocação. Dentre todos os profissionais da segurança pública, policiais civis ocupam a 2ª colocação dos que mais morrem em decorrência da profissão. A polícia militar lidera o triste ranking por possui um efetivo bastante superior ao da polícia civil.

“Policiais trabalham diuturnamente na defesa dos cidadãos. A profissão é prazerosa, mas muito desgastante e perigosa. Não temos condições dignas de trabalho, nosso efetivo é defasado, e nossos equipamentos de proteção são muito inferiores ao dos criminosos, o que agrava ainda mais a situação”, disse, Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES e vice-presidente da Cobrapol.

Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES e vice-presidente da Cobrapol.
Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES e vice-presidente da Cobrapol.

O ranking divulgado é mais uma prova do perigo que correm os policiais brasileiros em horário de serviço ou fora dele. Recentemente, o Jornal A Tribuna noticiou uma lista com as profissões mais perigosas do país esquecendo da categoria policial. Saiba mais.

Mesmo fora das profissões divulgadas, o risco em ser policial é reconhecido por importantes organizações de todo mundo. Durante a Convenção nº 155 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), da Organização das Nações Unidas (ONU), a atividade policial foi classificada como a segunda profissão mais estressante de todo o mundo, perdendo apenas para os mineiros de carvão.

A Organização Mundial de Saúde (OMS), no mesmo sentido, caracterizou a atividade policial como insalubre, perigosa, geradora de imenso estresse pelo esforço físico e mental, pois o policial tem a missão de garantir, com dedicação e risco da própria vida, a ordem, a paz pública, o patrimônio dos cidadãos comuns e os bens e serviços da Nação.

 

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS!!!