todos-os-cargos-da-policia-civil-passam-a-ser-de-nivel-superior-no-rio-de-janeiro

A terça-feira do dia 12 de setembro de 2017 ficará marcada como o dia em que toda a Polícia Civil do Rio de janeiro passou a ser de nível superior, independente do cargo. A vitória do SINDPOL-RJ representa a união e perseverança da categoria. O Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo parabeniza os amigos cariocas.

O governador Pezão havia vetado o Projeto de Lei 1.942/16 que estabelecia a exigência de diploma de curso superior para o candidato ao cargo de investigador da Polícia Civil. Nesta terça-feira (12), a pauta foi novamente votada na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (ALERJ) e o veto derrubado pelos deputados, o que representou uma grande vitória para os policiais civis cariocas.

Com a derrubada do veto do governador, a partir desta terça-feira, passa a ser exigido o nível superior também para o cargo de investigador de polícia no Rio de janeiro. O presidente do SINDPOL/RJ, Márcio Garcia, enviou um recado para os policiais capixabas e se colocou disponível para ajudar.  

O Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol/ES) parabeniza os amigos policiais cariocas. Para o Sindipol/ES, reconhecer o nível superior para todos os cargos da Polícia Civil, independente do estado, é valorizar o profissional e tornar a instituição mais qualificada no combate ao crime e na defesa da sociedade.

O Sindipol/ES lembra que a Polícia Civil brasileira norteia todo o sistema de justiça criminal. Todas as demandas da segurança pública desembocam na Polícia Civil que, entretanto, é uma das instituições menos valorizadas no país e sofre com a precarização, sobrecarga e com a falta de efetivo policial nas delegacias.

Assim como os estados do Acre, Brasília e agora o Rio de Janeiro conseguiram o nível superior para todos os profissionais, o Sindipol/ES segue nessa luta para fazer o mesmo no Espírito Santo. O reconhecimento do nível superior para todos os profissionais da polícia judiciária é de suma importância. Ainda faltam os agentes, auxiliar de perícia médico legal, fotógrafos criminais e os peritos em telecomunicações, sendo que o que quadro mais ilegal e injusto é o de agente que trabalha em concorrência com o investigador de polícia, desempenhando as mesmas funções e atividades, mas, recebendo salário diferente.

“A vitória dos policiais cariocas é de todos os policiais civis brasileiros. Mostra a força que temos. A luta por valorização, pelo reconhecimento do nível superior é de todos os policiais do país. Vamos sempre lutar por uma polícia civil mais cidadã e eficaz, só que isso também depende de políticas públicas que reconheçam a importância dos policiais civis na sociedade”, finalizou Jorge Emílio Leal, presidente do Sindipol/ES e vice-presidente da Confederação Brasileira dos Trabalhadores Policiais Civis.

 

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS!!!