sindipoles-declara-apoio-aos-policiais-civis-do-rio-grande-do-norte

O Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol/ES) manifesta publicamente apoio a luta dos policiais civis do Rio Grande do Norte que se encontram, desde o último dia 20, mobilizados contra o não pagamento dos salários de novembro, dezembro e do décimo terceiro.

A categoria aderiu a paralisação parcial e pede, além do pagamento dos salários atrasados desde novembro, melhores condições de trabalho.

O Sindipol/ES se solidariza com os policiais civis, representados pelo SINPOL/RN, e com os militares e bombeiros que estão na mesma situação de extrema penúria.

Por conta dos atrasos nos salários, os policiais civis estão impossibilitados de trabalhar devido as questões financeiras e psicológicas, pois, com a falta de dinheiro para o combustível ou as passagens de ônibus, e preocupados com a falta de comida na mesa, os policiais estão sem as condições mínimas para desenvolver suas atividades.

A diretoria do Sindipol/ES repudia a política de desvalorização e descaso de qualquer Governo que impõe políticas de massacre e desvalorização da segurança pública, principalmente contra os servidores públicos, profissionais de polícia, que cada vez mais sofrem com a desvalorização.

Mesmo sem receber há quase três meses, os policiais civis mantêm o funcionamento dos serviços em regime de plantão, no entanto, a pedido do Governo do Rio Grande do Norte, a Justiça considerou o movimento ilegal, determinando o retorno as atividades e a prisão dos policiais que incentivaram a paralização, numa decisão judicial que sentenciou os policiais civis a trabalharem sem nem mesmo receberem seus salários.

Para o Sindipol/ES é uma decisão lamentável, pois, ao invés de garantir aos policiais as condições dignas de trabalho, como a questão do direito constitucional aos alimentos, vez que o Governo de forma injusta, quer obrigá-los a trabalhar sem assegurar direitos básicos.

A situação em todo o Brasil não é diferente

A situação do RN é apenas mais um reflexo do sucateamento das forças de Segurança Pública no país.

Em setembro de 2017, o Sindipol/ES declarou publicamente o apoio aos policiais civis do Maranhão contra o abandono praticado pelo Governo local com a Policia Civil. Veja a matéria

No Espírito Santo, hoje, o estado tem um policial civil para cada 1.792 habitantes, uma defasagem no quadro operacional que já atinge um nível superior a 60%.

Além disso, os policiais civis capixabas estão há anos sem a revisão salarial, direito garantido por lei, e trabalham em delegacias com estruturas improvisadas, precárias e insalubres que oferecem risco aos policiais e a população que procura por atendimento.

JUNTOS SOMOS FORTES, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS!!!