NO MÁXIMO 5 POLICIAIS CIVIS ATUAM NA DELEGACIA DE SANTA LEOPOLDINA

Comunicação SINDIPOL-ES | 26/04/2021

news

A única equipe de policiais civis da cidade investigou, identificou, localizou e prendeu o autor de um duplo homicídio de grande repercussão em 72 horas.

Dois investigadores, um escrivão e um delegado formam a equipe que mantém aberta a Delegacia de Santa Leopoldina, cidade com 12.885 habitantes, segundo estimativa do IBGE em 2020. Para o Sindicato dos Policiais Civis (Sindipol/ES), quatro policiais não são suficientes para atender a demanda do município.

“A defasagem no quadro operacional da Polícia Civil é gritante. Dezenas de delegacias foram fechadas ao longo dos anos por falta de policiais e de investimentos. São unidades policiais que dificilmente serão reabertas, os profissionais foram transferidos e realocados em outras delegacias. A situação é preocupante”, frisou Aloísio Fajardo, presidente do Sindipol/ES;

O presidente do Sindicato dos Policiais destacou a recente prisão do homem que assassinou uma advogada e um estilista internacional, que mudaram para a cidade em busca de qualidade de vida. O assassino confesso foi identificado e preso em 72 horas pela única equipe da Polícia Civil do município.

“Assim como em todo o estado, algumas práticas criminosas estão crescendo em Santa Leopoldina e não temos policiais civis suficientes para investigar tantos crimes. O trabalho dos policiais civis de Santa Leopoldina demonstra a importância de se aumentar o efetivo da Polícia Civil capixaba em várias cidades, para frear a criminalidade”, pontuou Aloísio.

De acordo com o presidente do Sindipol/ES, apesar de concursos em andamento, o número de vagas ainda não irá suprir a carência no quadro operacional da Polícia Civil.

“Claro que reconhecemos a importância dos concursos abertos. Estão acontecendo depois de reiterados pedidos do Sindipol/ES ao governo, em várias gestões”, finalizou o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo.

FORÇA, UNIÃO E LUTA