GOVERNO PODE CONVOCAR CANDIDATOS DO CADASTRO DE RESERVA DO CONCURSO DE 2018

Os candidatos aprovados no último concurso da Polícia Civil capixaba que estão no cadastro de reserva devem ser chamados para substituir policiais aposentados que retornaram ao trabalho voluntariamente em 2017.

A determinação partiu do Ministério Público de Contas do estado (MPC), que identificou irregularidades na convocação de policiais aposentados que retornaram ao trabalho no plano de Serviço Voluntário de Interesse Policial (SVIP). Por isso, o MPC deu 90 dias para o Governo regularizar o quadro de servidores da Polícia Civil.

De acordo com o Ministério Público de Contas, para suprir a carência dos mais de 1.400 policiais civis, o Governo capixaba deve convocar os candidatos do cadastro de reserva do concurso realizado em 2018. Para o MPC, mesmo com a nomeação dos mais de 400 aprovados no concurso, a defasagem no quadro operacional da Polícia Civil ainda persiste.

A nomeação dos candidatos do cadastro de reserva atende um pedido do Sindicato dos Policiais Civis (Sindipol/ES), que vem alertando o Governo estadual sobre os riscos para o sistema de segurança pública causado pelo baixo número de policiais civis.  Entretanto, o presidente do Sindipol, Aloísio Fajardo, contestou o prazo dado pelo Ministério Público de Contas. Segundo Fajardo, a formação dos novos policiais deve durar seis meses.

“Seria importante o MPC ampliar esse prazo. Em 90 dias não teremos como formar novos policiais e o problema vai persistir e até mesmo se agravar. O ideal seria manter os voluntários atuando até os candidatos do cadastro de reserva passarem pela Academia de Polícia. Entendemos que, inclusive, os novos policiais podem aprender bastante com os aposentados que voltaram ao trabalho pelo SVIP”, explicou.

O Serviço Voluntário de Interesse Policial (SVIP) foi criado em 2017 e mais de 40 policiais aposentados foram convocados pela Secretaria de Segurança Pública do Espírito Santo.

“O Sindipol/ES sempre pediu abertura de concurso público e a nomeação do maior número possível de candidatos aprovados. Entendemos que é preciso oxigenar a Polícia Civil capixaba e os novos policiais devem trocar experiências no período de formação com os mais antigos”, pontuou Aloísio Fajardo, presidente do Sindipol/ES.

FORÇA, UNIÃO E LUTA